quinta-feira, 10 de agosto de 2017

AQUELE A QUEM DEUS ABENÇOA É RESPEITADO EM TODA A PARTE, EXCETO PELOS DE PERTO. (Por Gesiel Oliveira)

E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes, e na sua casa. E não podia fazer ali obras maravilhosas; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. (Marcos: 6:4-5 ) Diz a Palavra de Deus que Jesus chegou a sua terra natal, juntamente com o seus discípulos, num sábado e começou a ensinar na sinagoga e o povo estava admirado com a Sua sabedoria, se perguntando de onde vinham aqueles ensinamentos, quem poderia deter tamanho conhecimento e quem poderia fazer tantos milagres. De repente, essa mesma gente o reconheceu e começou a indagar se não era Ele o filho do carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, de José, de Judas, de Simão, além do fato de se encontrarem naquele lugar as suas irmãs e, por conta disso, ficaram desiludidos com Ele. Então Jesus disse: “Um profeta é respeitado em toda a parte, exceto na sua terra, entre os seus parentes e na sua própria casa”. Gostaríamos de chamar a atenção para o fato de que povo estava maravilhado com Jesus, com Sua sabedoria, com Seu conhecimento e com o Seu poder, entretanto, a partir do momento que aquelas pessoas viram que se tratava de uma pessoa que eles conheciam, parece que tudo aquilo que os estavam deixando maravilhados deixou de existir, caiu por terra e, por conta disso, ficaram decepcionados. Infelizmente é assim mesmo que acontece, temos uma enorme dificuldade de valorizar as pessoas a quem conhecemos, ou que convivem conosco, ou que estão do nosso lado e, em contrapartida, temos grande facilidade de conceder honra a quem não conhecemos, a quem não vive o dia a dia conosco ou a uma pessoa estranha. É assim tratamos com excelência e total atenção aos de fora, e os de perto tratamos com indiferença, desprezo ou menoscabo. Essa atitude foi repudida por Jesus Cristo, que sequer pode realizar grandes milagres naquele lugar por conta desse tratamento de incredulidade do seu povo. Diz as Escrituras que aquela gente deixou de vivenciar os grandes milagres que poderiam ser feitos naquele lugar, pois aquele comportamento por parte deles impediu que eles acontecessem e somente alguns poucos enfermos foram curados. A grande verdade é que aquelas pessoas eram preconceituosas e não conseguiam ver quem era Jesus, somente enxergavam o carpinteiro e sentiam-se ofendidas com o fato de as outras pessoas O seguirem, apesar de num primeiro momento terem ficado impactadas com as Suas palavras. O preconceito e a inveja falaram mais alto. Jesus poderia ter feito uma quantidade de milagres muito maior naquele lugar, mas tomou a decisão de não fazê-los em virtude da incredulidade daquelas pessoas, que não conseguiram separar o carpinteiro do enviado por Deus e, por conta disso, Jesus partiu para outro lugar à procura de pessoas que tivessem um comportamento diferente e se rendessem às evidências dos milagres que eram operados por Ele. Esta passagem tem um grande ensinamento para todos nós, que, muitas vezes, temos pessoas ao nosso lado pessoas que poderiam mudar as nossas vidas, com um conselho, uma palavra, uma admoestação ou ensinamento, mas, infelizmente, a grande maioria de nós age como aquela gente não conseguindo crer nessa possibilidade e, no final, os únicos perdedores somos nós que deixamos passar essas oportunidades, como aquele povo que deixou de presenciar muitos milagres que poderiam ter acontecido. Isso também aconteceu na vida de José entre seus irmãos, isso também aconteceu com Davi quando ele chegou no campo de batalha e seu irmão mais velho o menosprezou quando ele aceitou o desafio do Gigante Golias mandando voltar e cuidar das ovelhas de seu pai. Isso continua acontecendo em nossos dias. Mas quando Deus resolve abençoar, nada pode impedir, e só quem perde são os que se afastam por menosprezar ou invejar aquele a quem Deus abençoou.

Nenhum comentário :

Postar um comentário